Se espelhar nas virtudes de Maria é uma forma de desenvolver a espiritualidade e de se conectar ao chamado que ela nos faz para trilhar  o caminho do discípulado de Cristo

Logo no início das nossas vidas, recebemos um chamado, que nos convida à escuta de Deus. Assim, nós maristas, respondemos a esse chamado seguindo os passos de Jesus acompanhados de nossa Mãe Maria. Este vínculo se estabelece por meio da espiritualidade. Se soubermos aproveitarmos essa oportunidade, temos então o privilégio de habitar a  Casa de Nazaré onde moram Jesus, Maria e José. 

>> Confira o podcast “Na casa de Maria”.

Para nos aproximarmos dessa trilha, uma forma de se encontrar com a Boa Mãe é viver uma vida inspirada nas chamadas “Virtudes de Maria”. Veja a seguir algumas delas e como se espelhar nesses exemplos para fazer parte da casa de Maria.

Virtudes de Maria

7 virtudes de Maria

 

  • Paciência

A trajetória de nossa Boa Mãe foi repleta de provações e sofrimento, mas ela suportou seu caminho com muita paciência. Imagine o quanto foi doloroso para nossa Mãe ver seu filho na cruz, por exemplo. A maneira como soube confiar em Deus o seu destino é uma virtude de Maria que nos serve como inspiração.

  • Oração

A mãe de Jesus buscava o silêncio e a contemplação em suas orações na sua eterna busca da aproximação com Deus. E assim, teve Deus ao seu lado em toda a sua vida. Um exemplo de como levar o Senhor conosco, em nossos corações e em todas as horas e lugares.

  • Obediência

Além disso, Maria foi também exemplo de obediência obediente aos anseios de Deus, que incubiu a ela uma missão extraordinária: dar à luz ao Salvador. Disse “sim” ao Senhor, o obedeceu em tudo, respeitando de livre e espontânea vontade a autoridade e os planos divinos.

  • Amor materno

A humanidade inteira cabe no amor que Maria sente por cada um de seus filhos. Ao passo que se tornou  a mãe de Jesus, aceitou também a missão de cuidar de cada um de nós, que somos irmãos de Cristo e filhos de Maria. Dessa maneira, o amor com a força da alma nos chega e nos toca, nos inspirando a imitar suas virtudes e cuidar do nosso espaço dentro do coração de Maria.

  • Mortificação

Essa é uma virtude de Maria que representa toda sua coragem sobre o doloroso momento de ver seu próprio filho na cruz. Ainda assim, nossa mãe abraçou sua vida, repleta de sofrimentos e provações e por meio dessa atitude deu mais uma demonstração de seu imenso compromisso às causas de Deus.

  • Doçura

A nossa Mãe Maria é a rainha dos anjos e sua doçura angelical é incomparável. Colocou sua delicadeza e carinho à disposição da humanidade e, como resultado, conquistou o amor de todos os seus filhos. E essa é, portanto, mais uma virtude que nos inspira a seguir os passos de nossa Boa Mãe.

  • Fé viva

Por fim, não podemos esquecer do exemplo de fé que Maria nos deixou. Desde o recebimento da mensagem de que seria a mãe do Filho de Deus, ela se manteve firme e com uma confiança inabalável nos planos do Senhor. Viveu com máxima intensidade seu destino e as dificuldades que se apresentaram ao longo de sua vida terrena. Essa virtude de Maria nos leva a refletir a grandiosidade do modelo deixado por nossa Mãe a nós, os seus filhos.

 

As virtudes de Maria na Espiritualidade Marista

 

As virtudes de Maria é uma inspiração para todos nós. Igualmente, na história Marista, a Boa Mãe é parte da nossa essência. Nossa espiritualidade, recebida no carisma de Marcelino Champagnat, tem como base o encontro com Cristo inspirado no exemplo de Maria. 

Muito disso pode ser visto, por exemplo, no próprio jeito que Marcelino levou sua vida, sempre com a prática em seus atos da simplicidade, generosidade e humildade. Com uma linguagem simples, usando de simbolismos acessíveis a todos, Champagnat tocou os corações na época em que traçava sua trajetória na Terra. 

 

12 virtudes Maristas: um caminhar em direção à casa de Maria

 

Um exemplo da capacidade de sobreviver ao tempo do simbolismo e da simplicidade nas atividades Maristas está na própria marca da instituição. Assim como a trajetória de Maria, o símbolo Marista também reúne virtudes para inspirar Irmãos e leigos. 

Já reparou que logo acima do “A” e do “M” entrelaçados (que se referem à expressão Ave Maria) há 12 estrelas?

logo-marista-texto-virtudes-de-maria

Cada uma delas simboliza uma das chamadas “Pequenas Virtudes Maristas”. Estas são ensinamentos deixados por Champagnat, cuja prática diária nos aproxima da espiritualidade Marista e do caminho de seguir Jesus do jeito de Maria. Veja quais são e perceba como se relacionam de forma direta com as virtudes de Maria:

  1. Compreensão: na virtude de compreender, de entender, está também o ato de perdoar, de praticar a misericórdia.
  2. Discrição: na prática da discrição se conquista a habilidade de falar no momento e hora certa
  3. Compaixão: ter compaixão é desejar diminuir a infelicidade dos outros, se comover em ajudar a melhorar o mundo para todos.
  4. Paciência: persistir para vencer as dificuldades e não se importar em adiar algo para o bem maior.
  5. Polidez: ser educado, generoso com as palavras, agradecer, se desculpar, todas ações que refletem este valor.
  6. Solicitude: estar disponível, fazer o bem sem olhar a quem, viver voluntariosamente.
  7. Afabilidade: a habilidade de escutar sem demonstrar cansaço, estar sempre disposto a ouvir e ir ao encontro do outro.
  8. Flexibilidade: ser tolerável ao diferente de você e não impor um pensamento, aceitar que as pessoas são plurais e que não existe apenas um jeito de levar a vida.
  9. Poder-serviço: se colocar à disposição de servir, prestar serviços a um bem maior da comunidade. 
  10. Solidariedade: sonhar o que se sonha junto para edificar na coletividade, uma busca constante por promover a felicidade de todos, não apenas realizações individuais.
  11. Caráter: usar a comunicação não-violenta, proporcionar a harmonia e não esconder os próprios sentimentos.
  12. Alegria: uma verdadeira força contagiante, que valoriza o ser humano e as maravilhas de viver no mundo com a presença de Deus.

     

Ser Marista: como fazer parte desta família

 

Uma das “Regras de Vida” dos Irmãos Maristas, que também pode ser estendida à todos os maristas de Champagnat trata, acima de tudo, do compromisso que firmamos ao habitarmos a casa de Jesus, Maria e José. Ela nos que diz: “Fiel ao nome que levas, deixa que Maria inspire e modele tua espiritualidade”. 

Assim como o próprio Marcelino Champagnat também recordava continuamente a seus irmãos: “Sem Maria não somos nada com Maria temos tudo; porque ela sempre tem o seu adorável filho ou no colo ou no coração” (Carta a Dom Pompallier, 27 de maio de 1838). 

Na trajetória de nossas vidas, Maria, além de Mãe, se torna também uma irmã de fé, que nos acompanha e ilumina cada passo de nosso caminho. E é nas nossas atitudes, enquanto passamos pelo processo de amadurecimento, que temos a chance de aprofundar nosso caminhar como discípulos de Cristo. 

Agora, por fim, queremos te convidar também a conhecer um pouco mais sobre as figura de maria dentro da Espiritualidade Marista. Vamos lá? Preparamos este texto aqui!