O trabalho voluntário são atitudes feitas de coração, sem esperar nada material em troca, enchem de esperança a vida de todos os envolvidos e se torna uma via de mão dupla, onde todos ensinam e todos aprendem

O trabalho voluntário promove transformações profundas nas pessoas e nas comunidades. Praticar a solidariedade significa pegar uma via de mão dupla, na qual todos ensinam e todos aprendem.

Diante disso, o resultado é que assim conseguimos caminhar juntos pela estrada do Reino de Deus, que foi apresentada a nós por Jesus Cristo.

Neste texto vamos tratar um pouco mais sobre as origens do termo voluntariado. Também falaremos como a prática evoluiu no Brasil e sobre a Solidariedade Marista. 

O que é voluntariado?

O trabalho voluntário, como define a própria Declaração Universal do Voluntariado, é fazer algo sem esperar nada de material em troca. É uma atitude baseada em uma motivação pessoal forte e que estimula a cidadania e envolvimento comunitário das pessoas, tendo em vista um mundo mais fraterno, justo e humano a todas e todos. 

Como surgiu o trabalho voluntário?

É difícil dizer com precisão quando o ser humano começou a praticar ações voluntárias. No entanto, podemos afirmar que a popularização do trabalho voluntário no mundo contou com um apoio importante da religião. 

De acordo com alguns registros históricos, resgatados pelo livro Administrando Organizações do Terceiro Setor, do autor Mike Hudson, as primeiras igrejas cristãs criaram fundos para órfãos, doentes e pessoas mais pobres mantidos com donativos. Assim, pode-se interpretar esse movimento como o reflexo da própria essência do voluntariado.

Fazer algo de forma voluntária é dar uma resposta ao chamado de Deus e praticar a solidariedade. Ser solidário é ter, acima de tudo, uma postura diante da vida na qual todos os envolvidos ensinam e aprendem enquanto seguem os passos da jornada de Cristo

Podemos ver, por exemplo, a caminhada de Jesus. Ele nos deixou a proposta de um novo Reino, no qual há um novo jeito de ser. Durante sua passagem pela Terra, demonstrou por meio de atitudes e ensinamentos que solidariedade é bilateral, com aprendizados para todos os envolvidos.

Dessa forma, mais do que uma ferramenta para mudanças individuais, praticar a solidariedade é, primordialmente, uma maneira de promover a transformação social.

O trabalho voluntário no Brasil

No Brasil, a participação de instituições religiosas também foi igualmente fundamental para o desenvolvimento do trabalho voluntário nas comunidades. 

Hospitais, instituições de ensino, entidades para atender a crianças em situação de vulnerabilidade e uma infinidade de outros voluntariados já foram realizados por instituições católicas desde o início do nosso país. 

Do mesmo modo, do surgimento até hoje, os valores cristãos estiveram sempre presentes e ajudaram as ações voluntárias a ganharem força na vida do povo brasileiro.

Solidariedade Marista

Na família Marista, Marcelino Champagnat foi a inspiração para iniciativas de trabalho voluntário. Champagnat deixou, em todo seu trabalho e esforço com crianças e jovens, o exemplo de solidariedade e olhar atento aos mais vulneráveis. 

Assim, esse dom, recebido de Deus por Marcelino, inspirou a vida de milhares de outras pessoas e comunidades. Juntas, elas formaram uma grande corrente que já soma mais de 200 anos.  

Voluntariado Marista

Uma forma de reunir e se conectar com o propósito de Marcelino Champagnat é o voluntariado marista. O movimento busca em sua essência colocar o coração e a ação junto daqueles que mais precisam. 

Dessa maneira, o grupo, formado por Irmãos, Leigas e Leigos, é formado por pessoas que dedicam momentos de suas vidas a fim de estarem com crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social ao redor dos mais de 80 países onde há missões Marista. 

Para contribuir nessa jornada, cada país conta com as chamadas Comunidades Maristas, formadas, em sua maioria, por Irmãos Maristas. Entre suas mais diversas funções, elas podem também dar suporte aos voluntários caso seja necessário.

Com essas comunidades, é possível a quem pratica o voluntariado ter acesso, por exemplo, à orientação, acompanhamento, avaliação, bem como integração do voluntário na vida da comunidade ao longo do trabalho.

Como fazer parte?

Por fim, podemos ver o quanto a evolução do voluntariado no Brasil e no mundo é cheia de pessoas e atitudes exemplares. Agora vem nosso convite! Que tal se inspirar nessas histórias e começar você também a fazer um trabalho voluntário? Neste texto contamos com mais detalhes sobre o voluntariado Marista.