Evoluir, fortalecer atitudes do bem e viver a presença de Deus são alguns desejos de quem está querendo desenvolver a espiritualidade. Falar sobre ela é principalmente mergulhar em uma conversa que vai além mundo do material e concreto. 

O que é espiritualidade?

Antes de falarmos sobre como desenvolver a espiritualidade, precisamos entender qual é o significado dela e de quais formas ela se apresenta em nossas vidas.

A espiritualidade é, sobretudo, um grande ato de conexão entre o ser humano e o divido. Ela constrói o modo como compreendemos o mundo, as pessoas e Deus. É um ato que que energiza nosso ser e nos faz evoluir. Como reflete reflete Sérgio Barbosa Rodrigues, mestre em teologia e professor da PUCPR, a espiritualidade:

“é como a seiva da árvore: não está à vista, mas nutre, faz crescer e produz fruto”.

A espiritualidade Marista

A espiritualidade Marista, cujo caráter é mariano e apostólico, contempla todos aqueles que se identificam com a tradição de Marcelino Champagnat. Ela nasceu após Marcelino receber de Deus o dom de pautar sua vida na Escola de Maria e de se dedicar à missão de educar jovens e crianças pobres. 

Com esse dom, Marcelino e sua primeira comunidade de seguidores, os Irmãos Marista, começaram a viver o carisma, que anos mais tarde se transformou na espiritualidade. A santidade evoluiu com o tempo e hoje é considerada água viva para o mundo e um grande ato compartilhado por Irmãos, Leigas, Leigos e comunidade em geral.

Então, como desenvolver a espiritualidade?

Primeiramente, precisamos entender que seguir no caminho de Deus é uma missão que deve ser abraçada diariamente. São inúmeras as formas de desenvolver a espiritualidade. Abaixo, separamos cinco atitudes que podem lhe ajudar a cumprir essa missão.

1- Reconhecer seu papel no mundo

A reflexão da espiritualidade é o primeiro passo para encontrar seu próprio lugar no mundo. Praticar a plenitude da santidade requer, primeiramente, entender quais valores são importantes para sua vida e com quais você mais se identifica. São eles quem vão determinar as virtudes e atitudes que poderá praticar no dia a dia. 

Na espiritualidade Marista, nos inspiramos na vida de Marcelino, com consciência da presença de Deus e do modelo de Maria. Temos nossas virtudes pautadas na humildade e simplicidade. 

2- Ser grato

Já parou para pensar quantas graças ocorreram e ocorrem todos os dias pelas mãos de Deus para que possamos seguir em frente com nossas vidas? Agradecer pela vida e refletir sobretudo o que nos trouxe até aqui é uma forma de sair de um círculo vicioso perigoso: o de olhar apenas para aquilo que não temos. Exercitar a gratidão junto com Deus é uma forma de se aproximar Dele e exercer a espiritualidade.

3- Praticar o perdão

Certamente uma das lições mais importantes deixadas por Jesus foi sua fonte inesgotável de perdão. E nem sempre perdoar é tão fácil para nós, não é mesmo? Perdoar exige coragem e é um dos maiores atos possíveis de amor. Praticá-lo é uma grande oportunidade de engrandecer o espírito. Como mensagem deixada por Jesus “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei.”

4- Oração

Desenvolver a espiritualidade e se conectar com o divino requer, essencialmente, oração. Ela nos ajuda refletir sobre a Palavra de Deus, a permanecer como fiéis e a evoluir no desenvolvimento de nossas vidas. 

As orações podem ser praticamente em dois momentos: de forma individual e coletiva. A individual é uma conexão íntima e a oportunidade de nos sintonizarmos com o coração de Deus. Já a coletiva é a oportunidade de partilharmos a missão e todos os sonhos, realizações, conflitos, experiências pessoais e projetos comunitários e familiares. 

Para o Instituto Marista, a oração é “ apostólica, renovada, aberta à realidade da criação e da História, eco de uma vida solidária com os irmãos, sobretudo com os pobres e os que sofrem. É uma oração que recolhe as penas e alegrias, angústias e esperanças daqueles que Deus coloca em nosso caminho.”

5- Dialogar com Deus 

Por fim, não podemos nos esquecer da base da espiritualidade: a conexão com Deus. Pode parecer amplo, mas várias atitudes do dia a dia nos aproximam desse propósito e do encontro com nosso Senhor. 

A primeira delas é a busca por Deus em nós mesmos e no próximo. Precisamos confiar em sua presença e em seu amor por nós.  

Como nos disse Marcelino, “Não ofendamos a Deus pedindo-Lhe pouco. Quanto maior o nosso pedido, mais o agradaremos.”

Outra grande virtude, também relacionada à confiança, é cultivar nosso relacionamento com Deus. Conversar com ele e com as pessoas que o seguem é um exercício diário de evolução e aprimoramento das suas ações.

Esses são algumas das inúmeras atitudes que podem ajudar a exercer a espiritualidade. A conexão com Deus é um processo contínuo e com atitudes integradas. Evoluir como ser humano espiritualmente é como construir uma casa, se faz de tijolo em tijolo.

Se você se interessou no debate sobre espiritualidade, te convidamos a ler o  livro “Água da Rocha”, que aborda toda nossa base e história espiritual. 

 A publicação está disponível para download gratuito neste link.