Veja como a crise nos desperta para aprendizados e reflita sobre o tema a partir do exemplo de Marcelino Champagnat, para o qual a confiança em Deus foi decisiva para superar momentos difíceis

Em tempos de dificuldades como o que estamos passamos agora, antes de mais nada, somos chamados a recuperar a esperança e nos manter firmes na fé. A confiança em Deus é algo de suma importância para superar momentos difíceis. É ela que nos dá forças para fazer brotar a persistência e criatividade necessárias para seguirmos em frente. É nela que germina a nossa certeza de que os planos divinos nos reservam um amanhã melhor.

Nesse sentido, esta é uma reflexão que o Papa Francisco tem nos convidado a fazer constantemente, por meio de suas orações: 

 “O homem que confia em si mesmo, nas próprias riquezas ou ideologias está destinado à infelicidade. Quem confia no Senhor, em vez disso, dá frutos mesmo em tempos de seca”, nos ensina.

O poder de mudança que vem das crises

Seja como for, a crise faz parte da evolução dos seres humanos. Em geral, nos livros de história, podemos ver o quanto momentos de dificuldade deixam marcas na trajetória humana. A própria palavra “crise”, por exemplo, guarda isso em sua etimologia (estudo da origem das palavras). Em outras palavras, crise vem do grego krisis, e remete à fundição e purificação, bem como separação, escolha e discernimento. 

O sentido de fundição e purificação

Essas informações sobre a etimologia estão no ebookMarcelino Champagnat e a crise de 1826”, escrito pelo especialista do Memorial Marista Angelo Ricordi. De acordo com o pensamento do autor, é possível fazer uma reflexão da palavra crise especialmente sobre a ideia de fundição e purificação. Ao mesmo tempo, o material trata que essas noções nos fornecem discernimento para chegarmos a um entendimento mais apropriado do momento atual.

Sob o mesmo ponto de vista, o livro discorre que os momentos difíceis que enfrentamos na vida podem ser vistos a partir do conceito de fundição. Uma imagem que reflete o que ocorre com o metal, que para ser derretido precisa atingir altas temperaturas, o que o torna maleável.

Em suma, com a passagem por uma crise, as estruturas sólidas (nossas certezas), são liquefeitas. Esse processo nos leva à possibilidade de purificação, que vem com o aprendizado.

A confiança de São Marcelino em Deus para superar momentos difíceis

Lembremos, como exemplo disso, a trajetória de São Marcelino Champagnat. Marcelino passou por momentos de grandes provações na sua caminhada. E uma das passagens mais emblemáticas ocorreu no ano de 1826, quando ele precisou lidar com crises em diversas áreas da vida ao mesmo tempo. 

Depois de mover todas as suas forças, espirituais, humanas e financeiras para construir a casa de l´Hermitage, o padre Champagnat ficou gravemente doente. Em meio aos dilemas pelos quais passava, Marcelino deixou provas de como sua confiança em Deus foi decisiva para superar momentos difíceis.

“Se o Senhor não constrói a casa, em vão trabalham os seus construtores”, rezava Marcelino.

As purificações de Marcelino Champagnat 

Nesse período da vida de Marcelino, segundo o especialista do Memorial Marista Angelo Ricordi, é possível identificar cinco as principais purificações: 

1ª: Marcelino se vê diante da fragilidade da vida e das forças vitais.
2ª: Marcelino ressignifica a função dos recursos e se dá conta da solidariedade recebida dos seus amigos.
3ª: Marcelino reconhece o protagonismo de Deus na missão que realiza.
4ª: Champagnat relativiza seu próprio prestígio, ante a obra que Deus quer construir a partir dele e com ele.
5ª: Champagnat desapega do coração das criaturas.

Baixe o material completo 

Como podemos trazer essa lição para nossos dias e superar momentos difíceis?

É importante perceber que a fragilidade também esteve presente na hora em que pessoas, como Marcelino Champagnat, enfrentaram momentos de crise. A reflexão que fica é o papel que a solidariedade e a criatividade tem na hora de se passar por esses períodos.

Com a trajetória de vida de São Marcelino é possível aprender que é importante pensar e agir de forma a fazer tudo o que está ao seu alcance para sair de situações difíceis, sempre com confiança em Deus.

Que possamos reunir nossas forças, assim como fez Marcelino, e atendermos ao chamado de Champagnat de que renovemos nossa confiança na bondade de Deus. Uma boa forma de começar é refletir: eu confio na bondade de Deus?

Veja também: 5 hábitos para desenvolver a espiritualidade e se aproximar de Deus