Saiba o que significa viver em uma vocação religiosa e os possíveis caminhos para trilhar esse caminho de vida

Deus possui um plano para todos nós. Quanto mais perto estamos dele, mais nos aproximamos de ouvir o seu chamado. Para alguns, a resposta está na vida laical, no matrimônio ou nas ações missionárias. Já para outros, está no sacerdócio ou na vida religiosa. 

Cada pessoa tem um jeito próprio de perceber o chamado individual de Deus em seus corações. No texto de hoje, vamos desdobrar alguns dos aspectos que envolvem esse tema e que podem ajudar a discernir se o seu chamado é um convite a se dedicar à vocação religiosa.

“Ó Jesus, meu amor…minha vocação, enfim, a encontrei, minha vocação é o amor”

Santa Teresinha do Menino Jesus

Reprodução @juventudesmaristas

 

O que é vocação religiosa? 

A vocação religiosa é vivenciada por homens e mulheres que dizem “sim” a Deus e entregam suas vidas, em plenitude, a seguir Cristo e servi-lo no outro. Não é um processo que ocorre da noite para o dia. Há uma caminhada intensa para que se possa adquirir todo o conhecimento formal e espiritual necessários para se chegar à chamada consagração.

A consagração acontece por meio da realização dos votos de pobreza, obediência e castidade e, geralmente, por meio de uma Congregação Religiosa, como a dos Irmãos Maristas. 

Viver a vida religiosa não é abandonar, mas sim se tornar mais completo. É levar a presença e luz de Jesus por onde passamos: para as comunidades, para as pessoas necessitadas, para nossa família e amigos. A vocação religiosa, é portanto, uma maneira de tornar o mundo melhor.

“Verdadeiramente, a vida consagrada constitui memória viva da forma de existir e atuar de Jesus.”

João Paulo II 

Reprodução @maristacentrosul

 

Papa Francisco: chamado para a juventude à vida religiosa

O Papa Francisco se refere à vocação religiosa como o “grande tesouro na Igreja, daqueles que seguem o Senhor de perto, professando os conselhos evangélicos”. O Santo Padre tem constantemente tratado da necessidade de a voz dos jovens se fazer presente na Igreja, contribuindo à missão de não deixar que a instituição tão antiga, caia no erro de se tornar antiquada aos tempos de hoje. E que essa é uma missão que exige dedicação de todos.

 

“As paróquias e várias comunidades eclesiais são chamadas a incentivar o compromisso dos jovens, famílias e idosos, para que todos possam ter uma experiência cristã, vivendo a vida e a missão da Igreja como protagonistas”

 

Nessa fala do Papa Francisco, disponível aqui, é possível ler mais sobre a necessidade de renovação da Igreja com a participação dos jovens. Ele trata da necessidade de se construir uma Igreja que converse com os nossos dias. Que não ignore as tradições, mas que consiga construir pontes de diálogo entre o mundo atual e os ensinamentos do Evangelho. 

 

A vida dos Irmãos Maristas 

 

Ser Religioso Irmão na Igreja é sentir-se parte do povo de Deus e de sua missão, vivendo a resposta ao chamado de ser memória viva da aliança, pela consagração a Deus numa vida fraterna, em comunidade, para a missão. Essa fraternidade deve ser estímulo para toda Igreja, porque torna presente o valor evangélico das relações horizontais frente à tentação do poder (cf IMRII n. 5 e 7)

 

Uma das formas de trilhar o caminho de se tornar um dos grandes “tesouros da Igreja”, como diz o Papa Francisco, é fazer essa trajetória como parte dos Irmãos Marista. Há uma série de etapas pré-definidas pela nossa instituição para que os jovens comecem a trilhar essa missão. Esses passos estão explicados nesse texto.

Além disso, é possível conhecer um pouco da rotina de quem vive na nossa Casa de Formação, que você pode conhecer aqui

Reprodução @irmaomarista

Cabe reforçar que mesmo que o chamado para a vida religiosa não seja para nós, podemos fazer nossa parte. Um olhar atento e carinhoso às trajetórias dos jovens das nossas famílias e o diálogo permanente sobre os caminhos possíveis de se trilhar pode fazer a diferença.

Te convidamos a acompanhar e se inspirar sobre o tema nas páginas: 

 

 

Que possamos, independentemente da vocação, contribuir para que a juventude cada vez mais ouça a voz de Deus em seus corações.